Sabíamos de antemão que a ligação Entroncamento – Badajoz é feita em serviço regional e que por esse facto estávamos dependentes da autorização do revisor para transportar as bicicletas e portanto fomos cedo para a estação. Tão cedo que pudemos assistir da primeira fila, aos preparativos da automotora que cumpre o serviço.

Viagem para Badajoz – transporte bicicletas

Automotora serviço regional Entroncamento - Badajoz

Viagem para Badajoz – Automotora

Tivemos tempo de conversar com o “preparador” e conhecer os meandros da máquina com dois motores a diesel.

A conversa foi tão boa que não tivemos de pedir ao revisor para transportar as bicicletas: o “preparador” encarregou-se de o fazer, tornando o processo indolor e a resposta, seguramente afirmativa.

Para ajustar as expectativas a CP envia para Badajoz uma automotora a diesel com 94 lugares sentados. Em termos de comodidades os passageiros podem desfrutar de uma belíssima vista e em caso de necessidade, WC.

Chegados a Badajoz não perdemos tempo e equipámos a rigor mesmo à porta da estação. Não os alongámos muito em Badajoz porque o objetivo era audaz e a meteorologia prometia chuva (pelo menos o vento era forte). Fizemos apenas uma pequena paragem para registar a partida daquela que em tempos foi responsável por proteger a cidade.

Forte de Badajoz

Entrada no concelho de Elvas

Entrada no concelho de Elvas

Comprovámos que o dito popular “Oh Elvas, oh Elvas, Badajoz à vista” também funciona no sentido inverso e num ápice chegámos a Elvas onde haveríamos de ter o primeiro contacto com a prometida chuva.

Entrada da cidade de Elvas

Entrada da cidade de Elvas

Já à saída de Elvas fomos presenteados com uma forte chuvada de granizo, que nos obrigou a uma paragem forçada numa bomba de gasolina. Aproveitámos para “impermeabilizar” uma das mochilas e decidir se havíamos e prosseguir: afirmativo.

Pelos intervalos da chuva lá fomos, sem escapar a um ou outro aguaceiro até Vila Fernando. E aqui faça-se um compasso de espera: cerca de 200 habitantes, uma extraordinária bifana em pão no Bar Alentejo e uma memória esquecida: Centro Educativo Vila Fernando.

Houvesse alojamento e teríamos ficado em Vila Fernando, mas não.
Prosseguirmos de acordo com as indicações dadas e promessa dum coelho na caçarola muito famoso em Alcaraviça.
Na passagem por Santo Aleixo ficou confirmada a questão do famoso coelho na caçarola e outra: não havia alojamento nem ali nem em Alcaraviça. Siga, cada coisa a seu tempo.

Chegámos a Alcaraviça já noite feita por caminhos rurais que a chuva castigou.
Alguma coisa famosa haveria de existir por aquelas bandas dado o invulgar ajuntamento de carros.

Valeu o esforço em duas medidas: qualidade da refeição e simpatia do pessoal no Restaurante O Espalha Brasas.

Barriga cheia e reconfortados pelo calor da lareira, siga: a noite seria passada em Borba, aproximadamente a 4Km de Alcaraviça.

Badajoz - Borba: 68.96km / 5:07:16 / 670m

Badajoz – Borba: 68.96km / 5:07:16 / 670m